1. Inicie a emissão de uma NFe normal, acessando o módulo “Vendas -> Emitir Nota Fiscal -> Nova NF -> Incluir“.
  2. Selecione o modelo 03 (NF-E – Nota Eletrônica) e selecione o mesmo CFOP da NF-e Original (Ex: se foi usado o CFOP 1102 na NF-E Original, selecione novamente o CFOP 1102).
  3. Preencha os dados da NFE conforme a nota original (cliente, vendedor, condição de pagamento, etc).
  4. Para que a nota seja complementar, preencha o campo Tipo/Especial com o valor ‘001’.
Clique na imagem para ampliar

Com isso, ao adicionar os itens, os campos de tributos estarão livres para preenchimento e a nota será emitida com a tag nfe_fin = 2 (nota complementar).

5. Clique em “Add itens” para preencher os itens e os valores que precisam ser corrigidos:

Clique na imagem para ampliar

Os campos em  destaque estarão livres para preenchimento de acordo com a necessidade.

6. Após preencher os dados dos itens, informe no documento referenciado, a nota fiscal original. É obrigatório informar a NF original para ser validado pela SEFAZ.

Clique na imagem para ampliar

Após esse processo salve a nota e autorize normalmente.

Informações importantes

Em que casos posso usar a NF-e Complementar?

A NF-e Complementar é utilizada para acrescentar os dados e valores que não foram informados na NF-e original. A legislação prevê a sua emissão nos casos:

  • Exportação: quando o valor do dólar, por exemplo, for diferente na hora da emissão da NF-e e do recebimento da mercadoria. Nesse caso a NF-e Complementar é para ajustar os valores.
  • Quando há diferença no preço ou na quantidade de mercadoria.
  • No lançamento ou correção de imposto, quando há erro de cálculo ou de classificação fiscal.

Como emitir a NF-e Complementar?

a) Você deve usar a mesma natureza da operação da NF-e anterior.

b) Deve ser referenciada a nota original com o número da chave de acesso.

c) Você deve usar os campos código, nome, CST/CSOSN, CFOP e NCM dos produtos de acordo com a NF-e original. Obviamente você só irá incluir na NF-Complementar os produtos que efetivamente precisam ser complementados.

Recomenda-se que seja discriminado, na informação complementar do produto, o que está sendo complementado, algo como “NF-e complementar referente à falta de destaque do valor do ICMS na NF-e original.”. Isso é bem legal, pois no DANFE essa informação aparece logo abaixo do nome do produto. Fica bem simples de saber o que foi complementado.

d) Por exemplo, se na nota fiscal original você informou 3 quantidades, mas deveria ser 5, então você deve informar o valor 2 na quantidade da NF-e complementar.

Você deve fazer o mesmo para os demais campos do produto como valor unitário, valor total, bases de cálculo dos impostos e os valores dos impostos propriamente dito.

Para os demais campos numéricos que você não irá complementar, esses devem ser preenchidos com zero. Por exemplo, se você não vai complementar o valor do ICMS, então preencha com 0.

e) Para preencher o tipo de frete, em ambos os casos, deve ser preenchido como: 9-Sem frete.

O que devo preencher nas informações complementares de uma NF-e Complementar?

O campo de informações complementares merece atenção especial.

Nesse campo, em todas as hipóteses, é necessário referenciar o número e a data do documento original: “NF-e Complementar a NF-e 000000 emitida em 00/00/0000”.

Print Friendly, PDF & Email

Sobre o Autor